Perseguidor de cristãos número 1 do mundo pode estar em estado vegetativo

27
abr

Kim Jong-un, o ditador norte-coreano, não é visto em público desde o dia 12 de abril, e veículos internacionais noticiam rumores de que ele estaria em estado vegetativo em decorrência de complicações de uma cirurgia de emergência.

A Coreia do Norte é uma ditadura governada pela dinastia Kim, iniciada pelo avô do atual ditador. Segundo a entidade missionária Portas Abertas, que desenvolve há anos um mapa da perseguição religiosa mundial a cristãos, o país é o pior lugar do mundo para um seguidor de Jesus Cristo.

No mapa atualizado de 2020, a Portas Abertas descreve a Coreia do Norte como um lugar de “pressão em todas as esferas da vida”, formando “um Estado em que a paranoia ditatorial é evidente em cada segmento da sociedade”.

De acordo com informações da revista japonesa Shūkan Gendai, Kim Jong-un encontra-se em “estado vegetativo” após ter passado por uma cirurgia cardíaca no início deste mês. A China, outra ditadura comunista da qual a Coreia do Norte se porta como um Estado vassalo, enviou ajuda médica para o tratamento do ditador.

A revista japonesa entrevistou médico que afirma que Kim sofreu uma parada cardíaca e caiu durante viagem ao campo em 12 de abril, e que na cirurgia foi colocado um stent na artéria de Kim Jong-un, para que o fluxo sanguíneo fosse restaurado.

A agência de notícias Reuters pondera que não é possível determinar o real estado da saúde de Kim Jong-un apenas pelo fato de ele ter recebido a comitiva chinesa com médicos e autoridades. No entanto, as especulações sobre a gravidade de seu estado crescem porque, segundo a agência sul-coreana Yonhap, o jornal oficial da ditadura norte-coreana não veiculou nenhuma notícia sobre as atividades recentes do ditador.

Por: Thiago Chagas / Gospel+