Governador é acusado de “conversão forçada” de meninas cristãs ao islamismo, na Nigéria

27
abr

Os cristãos que vivem na Nigéria enfrentam intensa perseguição religiosa no país. Infelizmente, ela não parte apenas de grupos explicitamente terroristas, como o Boko Haram, mas também de autoridades públicas que, supostamente, tentam realizar a “conversão forçada” de meninas cristãs ao islamismo.

Este é o caso do governador Abdullahi Ganduje, do estado de Kano, segundo uma denúncia realizada pela organização Agenda dos Direitos Cristãos (CRA). A entidade acusa o político de realizar “conversão forçada e provocativa” de meninas cristãs ao islã.

Às tentativas de conversões forçadas teriam iniciado em 2015, assim que o governador assumiu, segundo a denúncia divulgada por Tom Chiamen, diretor interino de publicidade, informou o jornal inglês The Guardian.

“Os cristãos hausa indígenas em Kano foram subjugados pela administração de Ganduje e tiveram seus direitos e privilégios como cidadãos”, disseram o governador Simon Lalong, do estado de Plateau, e o presidente do Fórum Consultivo de Arewa (ACF), Chefe Audu Ogbeh, ambos cristãos.

Lalong e Audu explicaram que a perseguição religiosa contra os cristãos, incluindo a tentativa de conversão forçada das meninas cristãs, ocorre de modo sistêmico, por exemplo, envolvendo o uso do poder público para pressionar a comunidade cristã.

“Apesar da clara melhoria na infraestrutura em Kano, partes da metrópole dominada por cristãos ainda estão em suas condições ruinosas anteriores a 1999″, disseram eles.

“Mas gastar recursos do Estado para a conversão de menores cristãos pela força, truques, intimidações, ameaças e todos os tipos de meios atrasados ​​é o insulto mais irritante que os cristãos de Kano são forçados a conviver sob Ganduje”, destacaram.

Cristãs ou pagãs?

O porta-voz do governador, Salihu Yakasai, negou que Abdullahi Ganduje esteja tentando converter forçadamente meninas cristãs ao islamismo. Ele emitiu um comunicado alegando que existem conversões, mas que não se tratam de cristãos e sim “pagãos”.

“Sim, existem meninas convertidas ao Islã e essa não é a primeira vez que acontece em Kano. Há uma fundação de propriedade de Ganduje há vários anos, antes que ele estivesse no governo”, afirmou o assessor.

“A fundação se envolve em serviços humanitários e na propagação do Islã, assim como os missionários cristãos penetram nas comunidades locais em Sumaila, Kura e em poucas partes de Kano”, disse ele.

Por: Will R. Filho / Gospel+